sexta-feira, 19 de janeiro de 2018

POLÍCIA FEDERAL O FILME


BENEFÍCIOS CRIADOS PELO REGIME MILITAR NO BRASIL 1964-1985


 Esse post é uma colaboração do meu amigo Marconi Uchôa.



- Restabelecimento da autoridade e da ordem pública;

- Criação de 13 milhões de empregos;

- A Petrobrás aumentou a produção de 75 mil para 750 mil barris/dia de petróleo;

- Estruturação das grandes construtoras nacionais;

- Crescimento do PIB de 14%;

- Construção de 4 portos e recuperação de outros 20;

- Criação da Eletrobrás;

- Implantação do Programa Nuclear;

- Criação da NUCLEBRÁS e subsidiárias;

- Criação da EMBRATEL e TELEBRÁS (antes, não havia "orelhões" nas ruas nem se falava por telefone entre os Estados);

- Construção das Usinas ANGRA I e ANGRA II;

- Desenvolvimento das INDÚSTRIAS AERONÁUTICA e NAVAL (em 1971 o Brasil foi o 2º maior construtor de navios do mundo);

- Implantação do PRÓ-ÁLCOOL em 1976 (em 1982, 95% dos carros no país rodavam a álcool);

- Construção das maiores hidrelétricas do mundo: TUCURUÍ, ILHA SOLTEIRA, JUPIÁ e ITAIPÚ;

- Brutal incremento das exportações, que cresceram de 1,5 bilhões de dólares para 37 bilhões; o país ficou menos dependente do café, cujo valor das exportações passou de mais de 60% para menos de 20% do total;

- Rede de rodovias asfaltadas, passou de 3 mil para 45 mil km;

- Redução da inflação galopante com a criação da Correção Monetária, sem controle de preços e sem massacre do funcionalismo público;

- Fomento e financiamento de pesquisa: CNPq, FINEP e CAPES;

- Aumento dos cursos de MESTRADO e DOUTORADO;

- INPS, IAPAS, DATAPREV, LBA, FUNABEM;

- Criação do FUNRURAL, a previdência para os cidadãos do campo;

- Programa de merenda escolar e alimentação do trabalhador;

- Criação do FGTS, PIS, PASEP; (**)

- Criação da EMBRAPA (70 milhões de toneladas de grãos); (**)

- Duplicação da rodovia RIO-JUIZ DE FORA e da VIA DUTRA;

- Criação da EBTU;

- Implementação do Metrô em SÃO PAULO, RIO DE JANEIRO, BELO HORIZONTE, RECIFE e FORTALEZA;

- Criação da INFRAERO, proporcionando a criação e modernização dos aeroportos brasileiros (GALEÃO, GUARULHOS, BRASÍLIA, CONFINS, CAMPINAS - VIRACOPOS, SALVADOR, MANAUS);

- Implementação dos PÓLOS PETROQUÍMICOS em São Paulo (Cubatão) e na Bahia (Camaçari);

- Investimentos na prospecção de petróleo no fundo do mar que resultaram na descoberta da bacia de Campos em 1976;

- Construção do PORTO DE ITAQUÍ e do terminal de minério da Ponta da Madeira, na Ilha de São Luís no Maranhão;

- Construção dos maiores estádios, ginásios, conjuntos aquáticos e complexos desportivos em diversas cidades e universidades do país;

- Promulgação do 'Estatuto da Terra', com o início da Reforma Agrária pacífica;
- Polícia Federal;

- Código Tributário Nacional;

- Código de Mineração;

- Implantação e desenvolvimento da Zona Franca de Manaus;

- IBDF - Instituto Brasileiro de Desenvolvimento Florestal;

- Conselho Nacional de Poluição Ambiental;

- Reforma do TCU;

- Estatuto do Magistério Superior;

- INDA - Instituto de Desenvolvimento Agrário;

- Criação do Banco Central (DEZ/64);

- SFH - Sistema Financeiro de Habitação;

- BNH - Banco Nacional de Habitação; (***).

- Construção de 4 milhões de moradias;

- Regulamentação do 13º. salário;

- Banco da Amazônia;
- SUDAM;

- Reforma Administrativa, Agrária, Bancária, Eleitoral, Habitacional, Política e Universitária;

- Ferrovia da soja;

- Rede Ferroviária ampliada de 3 mil e remodelada para 11 mil Km;

- Frota mercante de 1 para 4 milhões de TDW;

- Corredores de exportações de Vitória, Santos, Paranaguá e Rio Grande;

- Matrículas do ensino superior de 100 mil em 1964 para 1,3 milhões em 1981;

- Mais de 10 milhões de estudantes nas escolas (que eram realmente escolas);

- Estabelecimentos de assistência médico sanitária de 6 para 28 mil;

- Crédito Educativo;

- Projeto RONDON;

- MOBRAL;

- Abertura da Transamazônica com instalação de agrovilas;

- Asfaltamento da rodovia Belém-Brasília;

- Construção da usina hidrelétrica de Boa Esperança, no Rio Parnaíba;

- Construção da Ferrovia do Aço (de Belo Horizonte a Volta Redonda);

- Construção da PONTE RIO-NITERÓI;

- Construção da rodovia RIO-SANTOS (BR 101);

- E o mais importante, impediram a implantação de uma 'FARC' no Brasil'.
Viva os militares de 1964, que levaram nosso país ao progresso e ao desenvolvimento, e nos livraram dos comunistas.


domingo, 17 de dezembro de 2017

A MORTE

“Mais vale ir a uma casa em luto do que ir a uma casa em festa, porquanto este é o fim de todo ser humano; e desde modo, os vivos terão uma grande oportunidade para refletir.” (Eclesiastes 7.2 KJA).

Morrer significa separar o corpo do espírito, a pessoa deixa de ser uma alma vivente e o corpo volta ao pó e o espírito volta a Deus que o deu.

“Sim, com certeza, lembra-te de Deus, antes que se rompa o cordão de prata, ou se quebre a taça de ouro; antes que o cântaro se despedace junto à fonte, a roda se quebre junto ao poço; o pó retorne à terra, de onde veio, e o espírito volte a Deus, que o concedeu.” (Eclesiastes 12.6-7 KJA).

Não há morte no sentido de inexistência do ser em nenhuma confissão religiosa cristã, apenas uma mudança de dimensão, um ultrapassar das fronteiras que nos limitam à geografia terrestre, ao espaço e ao tempo que estivermos vivendo como alma.

Para aqueles que têm fé a vida não tem fim, quando há a destruição do veículo usado pelo espírito aqui deste lado da vida, sabemos que de fato foi o espírito que ficou livre do corpo, sem as limitações que o prendiam na Terra. É como um mergulhador que se livra do escafandro e sai nadando livremente.

O choque violento que a morte causa, especialmente a morte de pessoas novas que morreram em acidentes terríveis é que não entendemos o significado real da morte, ou que apenas acreditamos no que ela seja de maneira vã e torpe, da boca para fora.

Quem tem fé de fato confessa aquilo que Jesus nos ensinou:

“Disse-lhe Jesus: Eu sou a ressurreição e a vida. Quem crê em mim, ainda que morra, viverá;
e todo o que vive e crê em mim não morrerá, eternamente. Crês isto?” (João 11.25-26 ARA).

Não é possível que alguém que creia nisso de todo o seu coração se desespere diante da realidade da morte.

A questão toda é que ninguém busca a Deus, não sabem nada, não se interessam e estão totalmente perdidos. Acreditam que a vida é isso que veem e apalpam aqui na Terra. Quando percebem que isso é passageiro e que a vida é frágil, desesperam-se.

A maioria não tem fé, possuem no máximo crendices; o que não os protege das dores nem da vida e nem da morte. O deus da maioria são as riquezas e os prazeres terrestres, quando alguém próximo perde isso, o pavor toma conta dos corações vazios.

A futilidade foi entronizada nos tronos dos corações humanos; tudo é vaidade, fútil e inútil; praticamente ninguém quer saber sobre o além-túmulo, sobre os fatos divinos, as suas obras e sobre os ensinamentos do Salvador.

Para que não pensem na morte que os apavora, mergulham tão profundamente no materialismo, no egocentrismo, nas mais diversas tolices mundanas que conseguem viver hipnotizados, como se a morte não existisse.

Mas o fato é que a morte é real: morrem fetos, bebês recém nascidos, jovens, adultos e idosos; ela não tem preconceitos de idade, ela simplesmente nos leva quando acabar o nosso tempo aqui.

A única maneira de a enfrentarmos é adquirindo consciência sobre ela, sobre o seu significado, suas realidades, consequências e obras póstumas.

Foi Deus quem nos deu a vida, é Ele quem as tira de nós. Somente nEle esse problema terá solução. Busque-O!

Cláudio


quarta-feira, 8 de novembro de 2017

DEPRESSÃO - MINHAS NOVAS PERSPECTIVAS

Há muitos anos vinha crendo e aceitando as explicações cientificistas sobre a depressão e as suas causas químicas, como a diminuição dos neurotransmissores: serotonina, noradrenalina e dopamina, entre todos os outros paradigmas psiquiátricos.

Cansei-me de ver a psiquiatria como sendo o saber e o poder institucionalizados; hoje, me sinto inclinado a pensar na depressão como a ressaca de consequência de uma vida desregrada, indisciplinada e longe da presença de Deus.

Mas por quê?

Porque agora estou consciente que o objetivo dos poderosos é usar a psiquiatria para enlouquecer as pessoas, julgo que tudo o que pensava saber sobre a depressão é mentira. Há séculos que os poderosos se utilizam dos locais de recolhimento e exclusão social como depósitos de indivíduos por motivos dos mais ambíguos e variados.

Vemos na história que com o desaparecimento da lepra, essas estruturas de confinamento permaneceram e, frequentemente, nos mesmos locais os jogos da exclusão foram retomados.  

Após as epidemias de lepra vieram os espaços sociais de exclusão para aqueles que adquiriram doenças venéreas . Eis aí a necessidade de um novo confinamento; uma nova razão para as exclusões sociais.

Nesses grandes enclausuramentos eram abrigados prostitutas, libertinos, sifilíticos, doentes venéreos, desafetos dos governantes, doentes moribundos, mendigos, andarilhos, desordeiros, loucos, esposas indesejadas e todo tipo de marginais. 

Com um sentido inteiramente novo, pobres, vagabundos, presidiários e alienados mentais assumiram o papel que antes era destinado aos leprosos.  

A própria história da psiquiatria nos prova que não há interesse algum na pessoa humana, mas tão somente no domínio, no comércio, no lucro e no poder institucional.

Essas são as minhas razões para abandonar por completo as minhas esperanças na psiquiatria como instrumento de cura para qualquer tipo de distúrbio mental.

Logo que comentei minhas novas perspectivas e inclui a ausência de fé entre os sintomas, me fizeram a seguinte pergunta:

“E como explicar o caso dos Padre que entraram em Deprê ????”

A qual respondi:

Ser padre não garante a comunhão com Deus, essa ligação é individual. Se um padre ao invés de cumprir sua vocação, vira celebridade, todas as suas opiniões terão de ser contrárias as suas reais convicções. Do contrário será crucificado publicamente, taxado de fanático, ignorante e preconceituoso e perderá totalmente a credibilidade.

Exatamente essa duplicidade entre o que se diz e o que se pensa de fato é que os fazem adoecer.

A verdade é que a dinastia Rockefeller financiou o instituto Tavistock, fundado em 1947, para desenvolver técnicas de manipulação da mente.

Essa família também é a dona da indústria farmacêutica, ou seja, o Tavistock é um instituto de engenharia comportamental e social a serviço da família Rockefeller que quer vender remédios.

Ninguém deseja a cura, mas a doença de todos, assim ganham mais dinheiro. Por isso, hoje, tudo tem um rótulo para classificar comportamentos como sendo doenças mentais: hiperativos, bordelines, vítimas de distúrbio de ansiedade generalizado, transtorno bipolar, pânico e síndromes de todos os tipos.

Aparentemente isso tudo é mentira, esses comportamentos provavelmente não são doenças, mas consequências das indisciplinas;  da obstinação nas práticas perversas, da perseverança no pecado.
O fato é que os pais não educam, não punem e não recompensam; as crianças são mimadas, têm de tudo, a babá é a internet. Logo, assim que crescem viram uma cambada de frouxos mimados que não sabem ouvir um não.

Como na vida ouvimos diversos “nãos” e o mundo não está nem aí para os nossos chiliques, esses se entristecem, se rebelam, teimam, engravidam, viram ateus, anarquistas, libertinos, porém, esses nomes que dei não serão usados por se tratarem de nomes adotados pela cultura judaico-cristã. 

Serão substituídos e rotulados por alguma suposta doença psiquiátrica formatada e desenvolvida no Instituto Tavistock de engenharia comportamental.

Desse modo, convencidos de que os maus comportamentos são doenças e não obstinação na prática do que não é saudável, daquilo que o cristianismo chama de pecado e, portanto, é prejudicial, passaremos a nos medicar ao invés de nos disciplinar e mudarmos de atitude, de comportamento e de mentalidade.

Isso perpetuará a suposta doença que não passa de obstinação na prática do que não é saudável, daquilo que a bíblia chama de pecado, de errar o alvo; o objetivo da criação.

O natural e o saudável é nos entristecermos nalguns períodos como na adolescência. Todo adolescente tem crises existenciais, sempre foi assim, mas hoje não deixam a pessoa sentir, metem remédios nelas.
Isso não é saudável, pois precisamos das tristezas, das crises para nos desenvolvermos como seres humanos, são as crises que nos tornam fortes. Saímos delas melhores. Se não tivermos crises, não amadureceremos, seremos eternos idiotas.

E esse é o objetivo desses poderosos: criar um bando de gente idiotizada, abestalhada, sem tutano nos ossos do caráter. Assim, podem nos manipular livremente à vontade.

Por isso, se estiver com depressão, reestabeleça imediatamente a sua comunhão com Deus, busque o arrependimento e se converta dos seus maus caminhos. Mude de vida! Claro que conforme o nível da depressão será necessário o uso de medicamentos, porém, por TEMPO LIMITADO! Jamais torne-se dependente do médico ou dos remédios. Use os medicamentos quando necessário com moderação, sabedoria e prudência. Como se fosse um gesso para as emoções quebradas.

Saiba que Deus está dentro de você, não está nos templos ou nas religiões, busque-O dentro e O achará.

Tudo se resolverá com esses passos simples e, tenha certeza, a cura virá!

Depressão não é uma doença incurável, incurável é a ganancia dos donos da Indústria farmacêutica.

Pensa comigo:

Se vivermos da maneira que não está em acordo com aquilo que é considerado saudável, isso gerará consequências. Uma delas será a tristeza pelos resultados que obtivermos e, aí, para que não sintamos essa tristeza, tomaremos uma droga lícita (remédio) que anestesiará a nossa sensação de frustração e tristeza.


Será que o que os antidepressivos fazem não é isso? Anestesiar-nos das sensações, pois quando paramos de tomá-los as sensações voltam; então são drogas anestésicas, não têm a intenção de curar, mas de entorpecer.


Se não estou disposto a mudar, se continuo agindo desordenadamente e egoisticamente, e a depressão me alcança, provavelmente ela seja um agente de transformação, não uma doença, mas uma bênção que me ajudará na mudança necessária.


Daí, ao invés de recebê-la e acolhe-la, me dopo com antidepressivos e continuo vivendo de forma errada. Aquilo que era para ser uma ferramenta de transformação foi anulado por uma droga lícita.

Outra questão a salientar é que quando a pessoa tem fé, ela tem esperança, e a fé vem da comunhão com Deus, pelo ouvir a Palavra de Deus, de ter o conhecimento e entendimento dela. Logo, quem não faz isso perde a esperança e se afunda na depressão.
Não há comunhão com Deus sem fé e não há fé sem esperança, logo a chave da saúde, assim como a chave da vida está em permanecermos em Deus, Ele em nós e nós Nele.

Mesmo assim, é claro, teremos muitos momentos ruins, de desânimo total e de desesperança, apenas não viraremos escravos dos Rockefellers, pois isso não durará a vida toda, mas tão somente momentos.

Há muitas coisas que podem nos conduzir a depressão: autossuficiência; autocomiseração; egoísmo; hedonismo, materialismo, enfim, são inúmeros os erros que cometemos que nos conduzirá a essa crise existencial que hoje foi batizada pelo nome de depressão.

Quando não aceitamos as coisas como são, mesmo sabendo que não temos o poder de mudá-las;

quando não conseguimos digerir nossas perdas;

quando negamos a realidade;

quando buscamos atalhos na vida;

quando nos entorpecemos com drogas (incluindo cerveja, rivotril e prozac);

quando nos tornamos obstinados em adquirir ou conseguir algo que sozinhos jamais teremos;
quando nos julgamos os únicos justos, certos e verdadeiros;

quando nos colocamos sempre como vítimas;

quando cremos que os outros ou a sociedade nos deve algo;

quando sistematicamente nos recusamos a nos arrepender e a mudar de direção e de atitudes;

quando somos mimados, birrentos e intransigentes...

Estamos aquecendo o vulcão que entrará em erupção sob a forma de depressão.


Cláudio Nunes Horácio