sábado, 28 de dezembro de 2013

CONTABILIDADE ANUAL

Responda pra você!

Como você entrou em 2013?

Quais eram seus desejos de mudanças?

O que conseguiu realizar?

Quais foram suas mudanças interiores?

Mantém as mesmas crenças?

O que melhorou em sua vida?

O que piorou?

Quais seus desejos para 2014?

Quanto bem praticou?

Quanto aprendeu com seus erros?

Hoje você pode dizer que é uma pessoa infinitamente melhor do que era há um ano?

Houve arrependimentos de posturas, mentalidades, condicionamentos e adestramentos sociais que outrora lhe tornavam detestável?

Hoje você está com quem consegue tirar o melhor de você, ou regrediu e está com quem lhe faz exalar o pior que tem em ti?

Está mais maduro, centrado, tem maior bom senso e prudência, ou ainda se comporta infantilmente como um idiota?

Aprendeu o valor e a importância essencial do trabalho para a saúde física, emocional, mental e espiritual ou anda ocioso procurando problemas onde esses não existem?

Como tem cuidado dos seus amados: você, cônjuge, filhos, irmãos, amigos?

O que tem feito para que o mundo se torne num lugar melhor para se viver? Comece por você!

Enfim, essas são apenas umas das inúmeras perguntas que irão nortear nossas ações e objetivos para 2014.

Boa sorte e Feliz ano novo!

Cláudio Nunes Horácio


terça-feira, 24 de dezembro de 2013

INTERVENÇÃO

“Porque um menino nos nasceu,
um filho se nos deu,
e o principado está sobre os seus ombros,
e se chamará o seu nome: 
Maravilhoso,
Conselheiro,
Deus Forte,
Pai da Eternidade,
Príncipe da Paz.”

A intervenção divina na história é corriqueira, cotidiana e constante. A questão é que não a vemos e não sabemos dos muitos livramentos que ocorrem conosco, visto acontecerem no invisível.

Todos têm um caminho a percorrer, uma trilha a atravessar, um mapa com roteiro bem definido que deveríamos seguir, porém, a história é mutável, nossas vidas são dinâmicas e nossas escolhas são completamente instáveis porque temos o livre arbítrio.

Sendo assim, precisamos de ajuda, de auxílio do alto quando, por motivos diversos, nos desviamos do alvo e trilhamos estradas escorregadias e sinuosas achando que estamos no caminho certo.

Acontece que eventualmente recebemos pessoas que são verdadeiros anjos a nos reorientar e a nos trazer de volta a razão, gente que nem sabe que estão em missão de auxílio, mas que nos sacodem e nos encaminham novamente às trilhas da saúde existencial.

Essa história é comum, todos temos pessoas que entraram temporariamente em nossas vidas para fazer uma verdadeira revolução e que se foram depois disso. Sabemos que sem essas ajudas eventuais, teríamos continuado a trilhar estradas de morte, e somos muitíssimos gratos pela ajuda recebida em momentos de emergências existenciais.

A história do Natal é tão somente o arquétipo, o ápice do auxílio que vem do alto para transformação das vidas no planeta Terra. É na encarnação do Verbo, da Palavra, de Jesus Cristo, que enxergamos o socorro que recebemos de Deus.
“E o Verbo (Jesus) se fez carne
e armou a Sua tenda entre nós,
cheio de graça e de verdade”.

Quando tudo estava perdido, Jesus entra na história, se veste de gente, com esse pijaminha de carne e nos mostra como é ser verdadeiramente humano, e nos traz de volta à sensatez, à razão, ao amor e à paz.

Jesus é o socorro, o auxílio, a ajuda que necessitamos para sairmos da loucura das guerras, dos guetos, das divisões de classes e das confrarias religiosas e sociais, políticas e ideológicas.

Nele está à luz dos Homens...

Ele é o norte, o padrão, a fôrma, o arquétipo, o amor, a paz e a esperança que a humanidade já deu certo.

Bem vindo à magia natalina, ao tempo de focarmos no Príncipe da Paz. Tempo de gratidão, de esperança, de fé e de certeza que não estamos sozinhos, pois o Emanuel Jesus Cristo é Deus conosco. Aleluia!

FELIZ NATAL!

Cláudio Nunes Horácio

sexta-feira, 20 de dezembro de 2013

O LUTO

A ausência presente ou a presença ausente é o estado que nos encontramos quando perdemos alguém muito próximo, querido e amado. Sofremos essa dor quando alguém muito próximo morre; quando somos deixados ou deixamos alguém; quando há rompimentos de amizades ou amores.

Todos nós somos construídos com fragmentos de vivências diversas. Somos o conjunto das nossas experiências, dos relacionamentos interpessoais, das nossas crenças, meio social, educação, condicionamentos...

Justamente, por isso, quando a pessoa física já não se faz presente, sentimos essa ausência presente em nosso interior, e carregamos as sensações, as percepções e até algumas idiossincrasias que tomamos emprestado daqueles que convivemos por longo tempo.

A verdade é que a pessoa, o corpo, o pijaminha de carne se foi, porém, a presença emocional, espiritual e mística, continua a nos acompanhar. Caminhamos no chão da vida carregando fragmentos de todos quantos amamos e convivemos. Jamais seríamos quem somos se não carregássemos características adquiridas através das convivências com essas pessoas; nunca seríamos exatamente como somos caso não tivéssemos tido contato com elas.

O período de luto é necessário e é normal, visto que haverão adaptações cotidianas comportamentais que precisaremos treinar para incorporar à rotina diária. Esse tempo de luto é individual e é pessoal, não cabendo a mais ninguém, exceto aquele que está sofrendo a perda, dizer o tempo necessário à adaptação e aceitação da nova realidade.

O mais importante a saber é:

1º) Todos nos adaptamos às inúmeras perdas que sofreremos na vida.

2º) Inevitavelmente e obrigatoriamente, haveremos de nos reencontrar, aqui desse lado da vida, nessa dimensão, ou do outro lado da vida, noutra dimensão, porém, SEMPRE nos reencontraremos.


Cláudio

quinta-feira, 19 de dezembro de 2013

ESCRAVIDÃO VOLUNTÁRIA

A pior escravidão é a voluntária. Aquela dos fanáticos, sejam fanáticos religiosos,  por futebol, ou por alguém...

Nessa escravidão, nos assemelhamos aos elefantes pesos por correntes ridiculamente insignificantes em comparação à sua força. Acontece, que quando ainda pequenos, esses elefantes foram amarrados com essas mesmas correntes; eles tentaram romper os grilhões... tentaram, tentaram..., porém, não tinham forças suficiente para os arrebentar, então, desistiram.

Quando adultos, essa correntinha presa em sua pata se romperia com o mínimo de esforço, porém, como tentaram desesperadamente em vão quando filhotes e não conseguiram, hoje já não tentam mais. Acostumaram-se com o cativeiro, acham-se fracos diante do poder da escravidão. Pobres coitados! Não sabem que o tempo passou, que o cenário existencial mudou e que hoje têm o poder de libertar-se.

Assim somos nós quando estacionamos na vida, quando nos acomodamos debaixo de algum teto religioso ou amoroso pensando que não podemos ou não devemos sair na chuva da vida, porque é muito perigoso ser livre, leve e solto. E assim, vamos nos voluntariando na escravidão que nos dá a ilusão de segurança.

É engraçado ver que buscamos segurança na escravidão, vida nos caixões, esperança nos cemitérios, enquanto o show da vida passa no palco da liberdade, nos livres pensamentos, no direito de ir e vir, na inteligência emocional, na intuição e no coração.

Somos co-criadores da vida desenhando as nossas histórias enquanto caminhamos pelos cenários que nós mesmos construímos e atribuímos a Deus ou ao acaso.

E assim, o espírito da escravidão voluntária usa nosso pavor de liberdade para nos obrigar a trancar-nos dia a dia em nossos adestramentos sociais, religiosos, políticos e morais.

Pense nisso!

Cláudio


BORA! TOMAR ESSE TREM!


ENCONTRANDO DEUS


AUTOCONHECIMENTO

Nossa maior luta é interior, é descobrir-nos, tirar às máscaras, arrancar os véus educacionais, religiosos, culturais e sociais. É livrar-nos dos adestramentos que recebemos desde que nascemos; é sabermos quem somos, a tal nível, que não interessa o que dizem que somos ou como somos, apenas nós mesmos, temos o dever de nos conhecer até as entranhas d’alma.

Podemos e devemos nos livrar das muitas personas que incorporamos, de tudo aquilo que nos camufla no palco da existência. O importante é ser, não é parecer ser e nem é atuar. Não somos histriões da vida, afinal, a vida não é um palco e não estamos aqui para representar, mas para viver de fato e de verdade.


BOM DIA!


Cláudio Nunes Horácio

ÉPOCA MÁGICA

Eita época boa d+. Amodoro Natal, fico exultante, radiante, transpiro alegria. Sinto o perfume da plenitude do amor do Cristo no ar. Abro meu álbum interno onde coleciona lembranças e saio colando mais e mais felicidade e sorrisos sem fim. O Espírito do Natal me faz cócegas e o meu espírito rola no chão de tanto rir. PAZ E BEM!

SOLIDÃO???

Acho que nunca irei entender esse lance de solidão. 

Primeiro, porque sou a minha melhor companhia, adoro estar comigo.

Segundo, porque mesmo que eu não veja com os meus olhos carnais, jamais estarei realmente só. 

Há milícias celestiais/dimensionais ao meu redor mesmo quando não tenho consciência disso. 

AOS JULGADORES DE PLANTÃO

Quando somos mais novos, nossos algozes nos criticam por determinada coisa, um comportamento, um defeito.
O tempo passa e mudamos, paramos de apresentar velhos comportamentos ou defeitos. A pergunta é: 
E agora? 

Qual é o nosso problema aos olhos desses bobalhões julgadores?
Será que esses palhaços já aprenderam a olhar para si mesmos ao invés de procurar defeitos nos outros? 
Cresceram?

Ou ainda continuam a olhar para fora pelo pavor que têm de olhar para dentro de si mesmos?
Será que sofreram transformações para melhor ou estão estacionados nalgum ‘playground’ da vida, brincando de inconsciência coletiva, enchendo a cara com bebidas, drogas, sexo, trabalho, consumismos ou bugigangas entorpecentes dos sentidos?


ENTÃO, ANTES DE OLHAR PRA MIM, DE ME JULGAR OU FALAR MAL DE MIM, ENXERGUE-SE!

VIVA

Viva sem medo de ser feliz. Arrisque-se! Viver é correr riscos, é não aceitar a mediocridade da norma, daquilo que é tido por normal. É lançar-se na vida para pescar sonhos. É se arrebentar de emoções e não aceitar a mornidão dos que nem amam e nem se deixam amar. É colocar as entranhas do nosso ser na história e colher sorrisos, regozijo, mas também lágrimas e sangue. Só assim a vida vale a pena, transpirando sustos de amor sem fim. 

quarta-feira, 4 de dezembro de 2013

COMO CONQUISTAR UMA MULHER

Descubra os bordões do Félix

O personagem mais amado e odiado da novela Amor à Vida é o vilão Félix, vivido brilhantemente pelo ator Mateus Solano. Uma das características do personagem são seus bordões sarcásticos de tema religioso. . Vamos conferir?


Mateus Solano vive Félix em Amor á Vida (foto: TV Globo/divulgação)



1- "Salguei a santa ceia, só pode ser"
2- "Pelas contas do rosário."
3- "Tomei caipirinha com santo Graal "
4- "Tenho motivos suficientes pra acreditar que eu lavei cueca na manjedoura"
5- ""Pelos cachos do Sansão. Pelas rugas de Matusalém"
6- "Devo ter sambado no Santo Sepulcro"
7- "Soltei fogos no sermão da montanha"
8- "Será que fiz confete com os pergaminhos do Mar Morto?"
9-  "Devo ter roubado presentes dos reis magos para merecer uma coisa dessa"
10- "Será que fiz uma torta com a maçã do paraiso?"
11- "Será que eu piquei salsinha com a tábua dos dez mandamentos?"
12- "Dancei pole dance na cruz"


13- "Eu devo ter colado chiclete na Santa Cruz"
14- "Devo ter feito uma peruca com os cachos do Sansão"
15- "Eu só posso ter assoado o nariz no Santo Sudário para merecer isso"
16- "Será que eu engarrafei as águas do Rio Jordão?"
17- "Eu cobrei pedágio na travessia do Mar Vermelho"
18- "Fiz furinhos na Arca de Noé;"
19- "Só posso ter colados chicletes no cabelo de Jesus Cristo"
20 - "Será que eu soltei rojão no sermão da montanha?"
21- "Ou será que estou em Israel e fui confundido com o Muro das Lamentações?"
22- "Será que eu fiz um skate com a tábua dos dez mandamentos para sofrer tanto assim.?"
23- "Eu devo ter quebrado um prato da Santa Ceia"
24- "Será que eu raspei as barbas do rei Salomão para merecer isso?"
25- "Devo ter pego o estilingue que David usou quando enfrentou Golias."
26- "Cobrei pedágio dos Reis Magos? Ou roubei os presentes que eles levavam?"
27- "Dancei tango com Jonas no ventre da baleia?"
28- "Será que surfei na passagem do Mar Vermelho?"
29- "Terei eu pichado as muralhas de Jericó?"
30- "Pus água na bacia de Poncio Pilatos para merecer esse martírio. "

FONTE

Remédios caseiros que realmente funcionam

Nossas mães e avós costumam ser especialistas nesses remédios caseiros que operam pequenos milagres. Logicamente, não são soluções para doenças sérias, mas certamente podem resolver um problema simples ou dar uma ajudinha em caso de emergência.
Para aproveitar os benefícios dos remédios caseiros, basta abrir os armários, a geladeira ou correr até o quintal e você encontrará facilmente os ingredientes necessários para acabar com o chulé, desentupir o ouvido ou dar um fim na azia, por exemplo.
Vale lembrar que essas receitas podem ajudar, mas não substituem o acompanhamento médico quando necessário. Confira alguns remédios caseiros e compartilhe conosco caso você conheça mais alternativas para solucionar problemas como esses.

1) Enxaguante bucal

As versões tradicionais dos enxaguantes bucais que contém álcool são uma ótima opção para combater problemas nos pés. Para prevenir fungos, micoses e outros tipos de incômodo, mergulhe os pés no líquido de uma a duas vezes por semana.

2) Vinagre de maçã

Fonte da imagem: Reprodução/Shutterstock

quarta-feira, 27 de novembro de 2013

10 MISTÉRIOS ANTIGOS

Out-of-place artifact (OOPArt) é um termo cunhado pelo naturalista americano e criptozoologista Ivan T. Sanderson para um objeto de interesse histórico, arqueológico, paleontológico ou encontrado em um contexto muito incomum ou aparentemente impossível que desafia a cronologia histórica convencional.
Apresento-lhes uma lista de 10 OOPArt que desafiam a ciência e que só podem ser explicados por pesquisadores tidos como malucos e insanos, como nós editores do blog Ab Origine:

1. Tiwanacu (Tiahuanaco ou  e Puma Punku)

Tiwanacu é um sítio arqueológico localizado na Bolívia, América do Sul e Puma Punku faz parte do complexo deste sítio. 

Tiahuanaco é um exemplo de engenharia tão monumental que supera todos os outros da América (incluindo Maias e Astecas). Os blocos de pedra localizados no sítio pesam muitas toneladas e estas pedras vieram de duas pedreiras diferentes. Um pedreira, localizada a 10 km de distância, forneceu arenito, a outra, localizada a 50 km de distância, forneceu andesito. Neste momento aparece o primeiro problema insolúvel: como estes blocos de pedra pesando mais de 100 toneladas foram transportados? 

Como se não bastasse a impossibilidade do transporte, estes monólitos gigantescos foram talhados um a um, e pasmem! Não há qualquer marca de cinzel.

A famosa Porta do Sol, provavelmente um antigos e misterioso calendário, foi montada em 3D. Os blocos de pedras foram entalhados e em seguida montados, interligando-se. O resultado foi um edifício tão forte que resiste a terremotos.

Portal do Sol - Tiwanacu

terça-feira, 26 de novembro de 2013

Campanha impactante de sensibilização contra a escravidão sexual da mulher

Incrível essa campanha de sensibilização contra a escravidão sexual da mulher.
De forma muito criativa conseguiu chamar atenção para esse assunto que infelizmente acontece com frequência ao redor do mundo. É de tirar arrepios de qualquer um, confira:

segunda-feira, 18 de novembro de 2013

Por que os negros nascidos nas Ilhas Salomão têm cabelos louros?

Aproximadamente 10% dos negros nascidos nas Ilhas Salomão possuem cabelos loiro.Muitos deduziam e achavam que o fato era a participação europeia na colonização do país ou pela exposição constante dos habitantes aos raios solares.

Um grupo de pesquisadores norte- americanos da Universidade de Stanford, descobriram o gene  que chama-se TYRP1, e a sua variação, presente nos louros das Ilhas Salomão, não é a mesma identificada em quem vive na Europa. Então podemos dizer que a “culpa” realmente é da genética, mas nada tem a ver com os europeus.

Com isso, os pesquisadores descartaram completamente que os loirinhos e loirinhas das ilhas Salomão não tem nada haver com os colonizadores europeus, sendo que a pesquisa tratou também as pessoas que tem cabelo preto também na ilha. O Geneticista Carlos Bustamante, deixou ainda bem claro que os humanos são todos lindamente diferentes.


Fonte:Revista Afro

ENEAGRAMA - OS 9 TIPOS

Atenção: A seguinte descrição dos Tipos de padrão de comportamento objetiva uma visão geral, sendo insuficiente para uma auto-identificação.
É importante lembrar que não somos um Tipo de padrão de comportamento, mas sim, adotamos um como mecanismo de defesa ou de organização funcional na família e na sociedade. 
Na abordagem do Instituto Eneagrama desaconselhamos a tentativa de auto-identificação por meio de questionários ou avaliações. Isto porque compreendemos que sozinho o indivíduo só irá reconhecer aquilo que estiver dentro da ótica de seu próprio Tipo. É necessária a contribuição de um profissional que lhe ajude a ampliar esta visão de si e consequentemente da identificação de seu próprio Tipo.

quarta-feira, 13 de novembro de 2013

EM CASO DE ESTUPRO, A CULPA É SUA



Se valendo de um humor caustico uma campanha anti-estupro na índia tem ganhado destaque na Internet. No vídeo duas mulheres, de forma muito didática, explica e justifica que se acontecer um estupro, a responsável é a mulher. Claro que de forma muito satírica e irônica.
O vídeo é obra de um grupo de humoristas de Mumbai chamado e “All India Bakchod” (Os charlatões da Índia). As ironias não perdoaram nem o popular guru indiano Asaram Bapu. Segundo ele em vez da vítima tentar resistir “devia ter rezado para Deus e pedido aos estupradores, chamando-os de ‘Bhaya’ (irmão), que a deixassem em paz”

O pedido de casamento mais elaborado, sensacional e exagerado de todos os tempos

terça-feira, 12 de novembro de 2013

Depois - Marisa Monte

Depois de sonhar tantos anos
De fazer tantos planos
De um futuro pra nós
Depois de tantos desenganos
Nós nos abandonamos como tantos casais
Quero que você seja feliz
Hei de ser feliz também
Depois de varar madrugada
Esperando por nada
De arrastar-me no chão
Em vão
Tu viraste-me as costas
Não me deu as respostas
Que eu preciso escutar
Quero que você seja melhor
Hei de ser melhor também
Nós dois
Já tivemos momentos
Mas passou nosso tempo
Não podemos negar
Foi bom
Nós fizemos histórias
Pra ficar na memória
E nos acompanhar
Quero que você viva sem mim
Eu vou conseguir também
Depois de aceitarmos os fatos
Vou trocar seus retratos pelos de um outro alguém
Meu bem
Vamos ter liberdade
Para amar à vontade
Sem trair mais ninguém
Quero que você seja feliz
Hei de ser feliz também
Depois


segunda-feira, 11 de novembro de 2013

Cabeça de cão volta a vida presa a uma máquina

Trabalho realizado pelo professor Sergei Briukhonenko no Instituto de Fisiologia e Terapia Experimental na Rússia em 1940. Pesquisa no renascimento de organismos animais, por meio de um sistema de circulação de sangue artificial. Supervisor científico da ciência médica Sergei Bryukhonenko.
Fonte 


quarta-feira, 6 de novembro de 2013

Saudade tem rosto, nome e sobrenome…

“Saudade tem rosto, nome e sobrenome. Saudade tem cheiro, tem gosto. Saudade é a vontade que não passa, é a ausência que incomoda. Saudade é prova de que valeu a pena”.
Publiquei este pequeno poema no Face há pouco mais de um mês. Desde então, a repercussão dessas simples palavras tem sido imensa no mundo virtual. Somando todas as reproduções que foram feitas em páginas de mensagens, já são quase 80.000 compartilhamentos. Na terça-feira da semana passada, dia 21, a apresentadora Ana Maria Braga abriu seu programa com o poema e o texto está, com os devidos créditos, no site do “Mais Você”.
E isso está acontecendo porque o sentimento é comum a todas as pessoas, de uma forma ou de outra. E hoje, 30 de janeiro, quando se comemora o “dia da saudade”, impossível não trazer o tema à tona novamente.
Há quem ache que saudade sempre lembra tristeza e que, por isso, não é mereça comemoração. Bom, então vamos trocar o “comemorar” por “celebrar”.
Recordar as pessoas que amamos e que já não estão mais entre nós é celebrar a vida. A morte nos separa fisicamente, mas não é, nem nunca será, a vitoriosa. Eu creio nisso.
Quando sentimos saudade é porque houve alguém que merece nossas lágrimas. Se a ausência incomoda, como escrevi no poema, é porque vivemos bons momentos ao seu lado. Por isso a saudade é celebração da vida. Da nossa história de vida.
E a gente sente saudade não só de quem “voltou pra casa”, mas também de que ainda está por aqui, neste plano terreno. Às vezes, por vontade própria ou não, pessoas deixam de ser companheiras de estrada. E aí vem a saudade.
Saudade dos tempos de infância e adolescência, saudade de uma viagem bacana que fizemos, saudade do cheiro gostosa da comida materna, saudade do abraço apertado paterno, saudade, saudade, saudade…
Que o dia de hoje, com ou sem lágrimas, seja motivo para festa em nossos corações. Que as lembranças sirvam para nos proporcionar momentos de emoção, não de tristeza.

Por que o governo ainda esconde a existência de Ets?

Chico Penteado e Marco Kioratto respondem o porquê o governo ainda esconde a existência de Ets.


domingo, 3 de novembro de 2013

Índigos e Cristais – quem são as gerações que vão mudar o futuro do mundo

It’s the end of the world as we know it (and I feel fine) – a clássica letra do R.E.M já previa o que estamos vivenciando hoje – o mundo, daquela velha forma com a qual estávamos acostumados, está passando por reforma. Crise de economias de países desenvolvidos, quedas de sistema, religiões com popularidade em baixa, uma necessidade latente de uma reforma nos modelos de ensino, um sonoro pedido de uma reorganização das coisas. No Brasil, as inesperadas manifestações  são apenas mais um sinal de novos tempos. E mesmo que os mais pessimistas tentem disseminar o medo de um possível retrocesso, é impossível deixar  de sentir esperança que algo bom está acontecendo com o mundo. De fato, o mundo como estávamos acostumados a conhecer parece mesmo ter acabado em 2012, ao contrário do que muitos de nós acreditávamos.

Como a maioria das revoluções, as que temos presenciado nos últimos anos têm sido lideradas por jovens. No Brasil mesmo, é fácil perceber que quem trouxe um ânimo há tempos extinto para causar tamanha comoção, foram os jovens. Mas quem são esses jovens? Quem são os integrantes dessa geração que vem buscando mudanças, que querem um mundo melhor? Talvez você não tenha ouvido falar muito  a respeito, mas há tempos a revolução que temos acompanhado no mundo já era prevista por um motivo – justamente devido ao nascimento de uma nova geração. Uma geração formada por indivíduos com potencial de mudar o mundo: os Índigos e os Cristais.

Segundo estudos de comportamento, os primeiros índigos foram pioneiros e mostradores de caminho. Depois da Segunda Guerra Mundial, um número significante deles nasceu – esses são os adultos índigos mais velhos de hoje. No entanto, na década de 70 e 80, uma outra grande onda de índigos nasceu, e por isso agora temos uma geração inteira de índigos que estão no final dos seus vinte e em meados de seus 30 anos, que irão com certeza liderar novas frentes no mundo. Essa geração já nasceu com maior grau de conhecimento tecnológico e também de maior desenvolvimento da criatividade. Os índigos são guerreiros, e têm como propósito de vida esmagar os velhos padrões que não são mais úteis para a sociedade (nesse momento de protestos no Brasil, podemos mais do que nunca observar os índigos em ação). São questionadores natos. Não aceitam proibições sem argumentos. São guiados por um forte senso de justiça.

A geração dos índigos tem dificuldade em se desassociar dos seus sentimentos e fingir que está tudo bem. É a geração que quer trabalhar com o que ama. Que está disposta a criar novas profissões caso eles não se adequem as já existentes (como exemplos que já demos aquiaqui, ou aqui).


O filme ‘We All Want to Be Young’ é o resultado de diversos estudos realizados pela BOX1824,uma empresa de pesquisa especializada em tendências de comportamento e consumo, nos últimos 5 anos.
Já as crianças consideradas cristais (ou pertencentes a geração Z) começaram a nascer a partir de 2000, ou talvez um pouco antes disso. Essas crianças são extremamente sábias, e vieram com um objetivo de evoluir a compreensão dos humanos. Elas vieram trazer mais sensibilidade para o “espírito guerreiro” dos índigos. Elas funcionam com uma consciência de grupo, em vez de individual, e vivem por uma consciência da Unidade. Elas são uma poderosa força de amor e paz no planeta.



terça-feira, 29 de outubro de 2013

Para que servem animais como barata, mosquito e formiga?

Mesmo os animais que parecem insignificantes ou repugnantes para algumas pessoas têm sua importância, pois fazem parte de uma complexa cadeia alimentar. Mas também não seria o fim do mundo se algum dos bichos citados acima sumisse do planeta. Não haveria um desequilíbrio ambiental desastroso. "Existem tantos insetos na Terra que, se uma espécie for extinta, ela será substituída por outra para desempenhar o mesmo papel", afirma o biólogo Odair Bueno, do Centro de Estudos de Insetos Sociais da Universidade Estadual Paulista (Unesp). E um desses papéis, claro, é o de atazanar um pouco a nossa vida. Bichos como baratas, mosquitos e formigas desenvolveram um convívio tão íntimo com o homem que se transformaram em verdadeiras pragas urbanas. "Eles desempenham uma ferrenha competição com os humanos ao utilizar os mesmos alimentos e até nossos detritos", afirma o biólogo.

segunda-feira, 21 de outubro de 2013

12 sites para fazer download de livros – de graça!

A rede está repleta de sites que disponibilizam livros, na íntegra, para download de forma gratuita e legal. Separamos alguns dos melhores recursos, para dar aquela força para os bibliófilos de plantão!

Deu aquela vontade de ler um livro diferente – mas você está completamente sem grana? Seus problemas acabaram!
FalaCultura fez uma seleção dos melhores sites para você baixar livros gratuitamente, em formato PDF ou epub. É claro que nenhum site é perfeito, então aqui estão os prós e contrasde cada portal, para você escolher um que seja a sua cara!


Brasiliana USP

thumb brasiliana 12 sites para fazer download de livros   de graça!
O site da Brasiliana USP disponibiliza 3.000 livros para download gratuito, que incluem livros raros e manuscritos históricos, além de diversos clássicos. A ideia é que no futuro o acervo aumente para 25.000 livros.
Os prós: além do vasto acervo e do fato de estar tudo em português, o site é bonito e bem funcional, fácil de usar.
Os contras: não é necessariamente uma desvantagem, mas há momentos em que fato das obras serem livros reais digitalizados é incômodo. Outro problema é a falta de alguns autores consagrados (como Machado de Assis), que ainda estão sendo incluídos.

quinta-feira, 17 de outubro de 2013

OS 14 LUGARES NATURALMENTE MAIS PERIGOSOS DO MUNDO

Ainda que você seja um aventureiro ao extremo, sugerimos que aprecie esses destinos apenas por vídeos ou fotos.
ilhas de izu copy
Na Ilha de Izu, Japão, as pessoas usam máscaras para se protegerem de gases tóxicos

segunda-feira, 14 de outubro de 2013

10 horrendos casos de inferno na terra

Seja qual for a terminologia que você levar em conta: Sheol, Geena, Hades, Diyu, Jahannam, Naraka ou simplesmente Inferno; a humanidade está repleta de representações mitológicas de uma vida brutal de sofrimentos após a morte. No entanto, essas descrições parecem quase triviais em comparação com algumas experiências devastadoras da realidade. Esses infernais, esses trágicos momentos da história humana, expuseram  as desafortunadas pessoas envolvidas neles à dor, tortura, sofrimento e terror indescritíveis. Falamos de ...


10 - Os pântanos de Ramree

crocodile-570x320

O PODER DO ELOGIO SINCERO E DA POSITIVIDADE

Em uma era onde as informações são consumidas rápidas como se fossem "fast-food" (comida rápida, em português), é cada vez mais raro encontrar alguém que tenha paciência para ver algo que demore alguns minutos. Este é um curta-metragem premiado de 2007 chamado "Validation" (Validação, em português) escrito e dirigido pelo norte-americano Kurt Kuenne e estrelado pelos atores Vicki Davis e TJ Thyne.



O curta-metragem conta a história de um homem que trabalha em um estacionamento validando cartões das entradas para as pessoas no shopping gratuitamente e elogiando diversos indivíduos somente para vê-los sorrindo. Apesar de ser antigo o vídeo é bastante atual, pois mostra que tanto a alegria quanto a tristeza são capazes de serem contagiantes em relação às pessoas que estão ao seu redor.

O autor do curta-metragem faz questão de deixar a mensagem evidente, retratando o que de fato buscamos para conseguirmos viver em harmonia em nossa sociedade: o reconhecimento. Bom, o vídeo tem duração de aproximadamente 15 minutos, mas não se preocupe quanto a isso, sabe por quê? Porque você é incrível e um dia as pessoas vão te ver pelo que você é realmente.



Fonte

Mágico francês - genial

sexta-feira, 11 de outubro de 2013

Projeto Chines mostra ônibus que passa por cima dos carros


O projeto que tem o nome de Land Air Bus, utiliza de painéis solares e elétricos para se locomover, o que gera uma economia de até 860 toneladas de combustível  ao ano e resulta em uma redução de 2640 toneladas de emissão de dióxido de carbono (CO2) na atmosfera. ônibus alcança uma velocidade de 60 km/h, e conforme informações dos criadores do projeto, o veículo comporta 1200 pessoas em quatro vagões. A criação possui seis metros de largura e quatro metros de altura, ocupa duas pistas e o custo para implementá-lo chega a ser até 10% mais barato do que a construção de metrôs. Até o momento ainda não existe a confirmação de que será implantado na China, mas o projeto é apresentado como o futuro das cidades.

Fonte

quarta-feira, 9 de outubro de 2013

Reconhecendo e Induzindo Visuais, Auditivos e Sinestésicos

      Sempre que pretendemos analisar  qualquer pessoa o primeiro passo é conseguir identificar a qual grupo ela pertence: visual, auditivo ou sinestésico. Com posse dessa informação, basta direcionarmos nossas para as características dele. Então, entenda como aplicar isso na prática.
          As pessoas que fazem parte do grupo visual possuem maior aptidão para captar as informações a partir daquilo que enxergam, ou seja, seus olhos não trabalham apenas como instrumento de localização, mas também como esponjas que absorvem informações. Ao prestarmos atenção, percebemos que os homens encaixam-se perfeitamente nesse grupo e que, por isso, são maioria dentro dele. A prova disso é que, constantemente, acabam se traindo pelos seus desejos visuais, engordando em frente à televisão, comprando os mais belos carros ao invés dos mais eficientes e enchendo os olhos para alcançar a sensação de felicidade.
          Outra prova disso é o fato de que, normalmente, o homem procura mulheres bonitas para se saciar sexualmente, dando preferência para seios fartos, cintura fina, bumbum redondinho, coxas grossas e barriga da perna bem torneada. Sem problemas, se a mulher não tiver nada dentro da cabeça, pois, no final, o que vale é o que pode ser visto. Ao ir a um evento, um homem visual pode tranquilamente ir de jeans e chinelo, desde que sua acompanhante esteja linda, já que o que vale para ele é que os outros vejam como ele está bem acompanhado.
          Tratando-se de neurolinguística, para a indução a esse grupo de pessoas, podemos utilizar termos do tipo: “está claro para você?”, “podes me mostraruma solução para o problema?” ou “vejo grandes possibilidades para o futuro!”, sempre fazendo referências visuais. Por se tratarem de uma boa fatia do mercado, as empresas de marketing fazem apostas em propagandas bem coloridas, com produtos chamativos, principalmente através de fotos, revistas, televisão, outdoor, entre outros.
olhar
       

sexta-feira, 4 de outubro de 2013

Pesquisa científica: Dizer “Eu te amo” não garante relacionamento

Desculpe despedaçar seu coração romântico. Mas parece que essa ideia de declarar amor eterno é papo furado, coisa de filmes e livros fofos. Um relacionamento longo não se sustenta só na base do “eu te amo”: depende mais do comprometimento do casal e da parceria durante os momentos difíceis.
Foi o que perceberam alguns pesquisadores, depois de acompanhar a vida de 172 casais ao longo dos 11 anos primeiros de casados. O número de brigas e desentendimentos ou quantas vezes por dia eles diziam “eu te amo” não tinha nenhuma relação com a duração do relacionamento. O fator mais importante era o comprometimento. Ou seja, quão interessados se sentiam em seguir com orelacionamento – e o que faziam para mantê-lo vivo. Só assim eram capazes de perdoar os deslizes do parceiro, ao invés de somar fatores à lista de reclamações, e superar juntos os momentos difíceis.
É por isso que os casais mais felizes carregavam um espírito de equipe. Pareciam mais dispostos do que os outros a fazer sacrifícios pessoais para deixar o relacionamento mais saudável. E, como um time, se entendiam bem em relação ao sexo. Isso não significa que os casais mais felizes transavam todo dia ou cinco vezes por semana. Na verdade, o que importava era se os dois concordavam com a quantidade de sexo que faziam – mesmo se fosse só uma vez por mês.
Via: Revista Super
Fonte: Pleinco

terça-feira, 3 de setembro de 2013

SEI DE COR - Ana Jácomo

"Sei de cor como dói perder. Como dói perder várias vezes. Como dói perder o que tanto amamos. 

Que medo que dá de ganhar, depois, com a perspectiva assombrosa de uma nova perda. Que medo que dá de dançar com o improviso outra vez. Que medo que dá de reconhecer que a jornada, é, sim, feita de vida e morte. Que medo que dá de permitir que aquilo que morreu se transforme em húmus, no nosso coração, para nutrir as belezas que haverão de nascer. Sei de cor como é difícil o desapego.

Como demora a chegada do instante em que, enfim, mais humildes, começamos a nos desarmar, a nos render à força que nos move, a deixar a vida fluir do jeito dela, sem a ilusão de conseguirmos amarrar as suas ondas.

Sei de cor os caminhos da fuga. Como nos tornarmos hábeis em inventar pretextos, contextos, textos, para fugir de nós mesmos. Como nos tornarmos hábeis em inventar pretextos, contextos, textos, para fugir dos outros, às vezes tão amados. Como dizemos bobagens quando queremos apenas dizer o nosso amor, o nosso medo, a nossa música, a nossa humanidade, a nossa divindade, a nossa vastidão. Sei de cor os caminhos da fuga. Os mecanismos conhecidos e aqueles outros todos que inventamos, assustados, pela estrada. Sei de cor que fugir, por mais incrível que pareça, acaba nos levando, cada vez mais um pouquinho, para mais perto dos encontros.

Sei de cor que viver é trabalhoso e que, de vez em quando, parece que o trabalho aumenta mais. Que nessas horas, às vezes a gente sente uma vontade enorme de correr, embora não exista lugar algum para onde possamos ir sem nos levarmos. Estamos o tempo inteiro com nós mesmos e essa é daquelas verdades que não mudam de cara, por mais que o tempo passe e tudo mude. Sei de cor que não importa as diferenças de cenário, de roteiro, de elenco, de trilha sonora, de efeitos especiais, todas as histórias têm algo em comum: o desafio e a graça do aprendizado do amor. É, sobretudo, para aprendermos a amar que estamos aqui. Às vezes, eu esqueço; você também, imagino. Mas a vida, não demora, vem nos lembrar de novo.

Sou uma caminhante na estrada do aprendizado do amor. Às vezes, exausta, eu paro um pouquinho. Cuido das dores. Retomo o fôlego. Depois, levanto e, seduzida, enternecida pelo chamado, cheia de fé, eu prossigo. Um passo e mais outro e mais outro e mais outro, incontáveis. Sei de cor que não é fácil, mas sei também que é maravilhoso olhar para o caminho percorrido e perceber o quanto a gente já avançou, no nosso ritmo, do nosso jeito, um passo de cada vez."


Ana Jácomo