quarta-feira, 27 de novembro de 2013

10 MISTÉRIOS ANTIGOS

Out-of-place artifact (OOPArt) é um termo cunhado pelo naturalista americano e criptozoologista Ivan T. Sanderson para um objeto de interesse histórico, arqueológico, paleontológico ou encontrado em um contexto muito incomum ou aparentemente impossível que desafia a cronologia histórica convencional.
Apresento-lhes uma lista de 10 OOPArt que desafiam a ciência e que só podem ser explicados por pesquisadores tidos como malucos e insanos, como nós editores do blog Ab Origine:

1. Tiwanacu (Tiahuanaco ou  e Puma Punku)

Tiwanacu é um sítio arqueológico localizado na Bolívia, América do Sul e Puma Punku faz parte do complexo deste sítio. 

Tiahuanaco é um exemplo de engenharia tão monumental que supera todos os outros da América (incluindo Maias e Astecas). Os blocos de pedra localizados no sítio pesam muitas toneladas e estas pedras vieram de duas pedreiras diferentes. Um pedreira, localizada a 10 km de distância, forneceu arenito, a outra, localizada a 50 km de distância, forneceu andesito. Neste momento aparece o primeiro problema insolúvel: como estes blocos de pedra pesando mais de 100 toneladas foram transportados? 

Como se não bastasse a impossibilidade do transporte, estes monólitos gigantescos foram talhados um a um, e pasmem! Não há qualquer marca de cinzel.

A famosa Porta do Sol, provavelmente um antigos e misterioso calendário, foi montada em 3D. Os blocos de pedras foram entalhados e em seguida montados, interligando-se. O resultado foi um edifício tão forte que resiste a terremotos.

Portal do Sol - Tiwanacu

terça-feira, 26 de novembro de 2013

Campanha impactante de sensibilização contra a escravidão sexual da mulher

Incrível essa campanha de sensibilização contra a escravidão sexual da mulher.
De forma muito criativa conseguiu chamar atenção para esse assunto que infelizmente acontece com frequência ao redor do mundo. É de tirar arrepios de qualquer um, confira:

segunda-feira, 18 de novembro de 2013

Por que os negros nascidos nas Ilhas Salomão têm cabelos louros?

Aproximadamente 10% dos negros nascidos nas Ilhas Salomão possuem cabelos loiro.Muitos deduziam e achavam que o fato era a participação europeia na colonização do país ou pela exposição constante dos habitantes aos raios solares.

Um grupo de pesquisadores norte- americanos da Universidade de Stanford, descobriram o gene  que chama-se TYRP1, e a sua variação, presente nos louros das Ilhas Salomão, não é a mesma identificada em quem vive na Europa. Então podemos dizer que a “culpa” realmente é da genética, mas nada tem a ver com os europeus.

Com isso, os pesquisadores descartaram completamente que os loirinhos e loirinhas das ilhas Salomão não tem nada haver com os colonizadores europeus, sendo que a pesquisa tratou também as pessoas que tem cabelo preto também na ilha. O Geneticista Carlos Bustamante, deixou ainda bem claro que os humanos são todos lindamente diferentes.


Fonte:Revista Afro

ENEAGRAMA - OS 9 TIPOS

Atenção: A seguinte descrição dos Tipos de padrão de comportamento objetiva uma visão geral, sendo insuficiente para uma auto-identificação.
É importante lembrar que não somos um Tipo de padrão de comportamento, mas sim, adotamos um como mecanismo de defesa ou de organização funcional na família e na sociedade. 
Na abordagem do Instituto Eneagrama desaconselhamos a tentativa de auto-identificação por meio de questionários ou avaliações. Isto porque compreendemos que sozinho o indivíduo só irá reconhecer aquilo que estiver dentro da ótica de seu próprio Tipo. É necessária a contribuição de um profissional que lhe ajude a ampliar esta visão de si e consequentemente da identificação de seu próprio Tipo.

quarta-feira, 13 de novembro de 2013

EM CASO DE ESTUPRO, A CULPA É SUA



Se valendo de um humor caustico uma campanha anti-estupro na índia tem ganhado destaque na Internet. No vídeo duas mulheres, de forma muito didática, explica e justifica que se acontecer um estupro, a responsável é a mulher. Claro que de forma muito satírica e irônica.
O vídeo é obra de um grupo de humoristas de Mumbai chamado e “All India Bakchod” (Os charlatões da Índia). As ironias não perdoaram nem o popular guru indiano Asaram Bapu. Segundo ele em vez da vítima tentar resistir “devia ter rezado para Deus e pedido aos estupradores, chamando-os de ‘Bhaya’ (irmão), que a deixassem em paz”

O pedido de casamento mais elaborado, sensacional e exagerado de todos os tempos

terça-feira, 12 de novembro de 2013

Depois - Marisa Monte

Depois de sonhar tantos anos
De fazer tantos planos
De um futuro pra nós
Depois de tantos desenganos
Nós nos abandonamos como tantos casais
Quero que você seja feliz
Hei de ser feliz também
Depois de varar madrugada
Esperando por nada
De arrastar-me no chão
Em vão
Tu viraste-me as costas
Não me deu as respostas
Que eu preciso escutar
Quero que você seja melhor
Hei de ser melhor também
Nós dois
Já tivemos momentos
Mas passou nosso tempo
Não podemos negar
Foi bom
Nós fizemos histórias
Pra ficar na memória
E nos acompanhar
Quero que você viva sem mim
Eu vou conseguir também
Depois de aceitarmos os fatos
Vou trocar seus retratos pelos de um outro alguém
Meu bem
Vamos ter liberdade
Para amar à vontade
Sem trair mais ninguém
Quero que você seja feliz
Hei de ser feliz também
Depois


segunda-feira, 11 de novembro de 2013

Cabeça de cão volta a vida presa a uma máquina

Trabalho realizado pelo professor Sergei Briukhonenko no Instituto de Fisiologia e Terapia Experimental na Rússia em 1940. Pesquisa no renascimento de organismos animais, por meio de um sistema de circulação de sangue artificial. Supervisor científico da ciência médica Sergei Bryukhonenko.
Fonte 


quarta-feira, 6 de novembro de 2013

Saudade tem rosto, nome e sobrenome…

“Saudade tem rosto, nome e sobrenome. Saudade tem cheiro, tem gosto. Saudade é a vontade que não passa, é a ausência que incomoda. Saudade é prova de que valeu a pena”.
Publiquei este pequeno poema no Face há pouco mais de um mês. Desde então, a repercussão dessas simples palavras tem sido imensa no mundo virtual. Somando todas as reproduções que foram feitas em páginas de mensagens, já são quase 80.000 compartilhamentos. Na terça-feira da semana passada, dia 21, a apresentadora Ana Maria Braga abriu seu programa com o poema e o texto está, com os devidos créditos, no site do “Mais Você”.
E isso está acontecendo porque o sentimento é comum a todas as pessoas, de uma forma ou de outra. E hoje, 30 de janeiro, quando se comemora o “dia da saudade”, impossível não trazer o tema à tona novamente.
Há quem ache que saudade sempre lembra tristeza e que, por isso, não é mereça comemoração. Bom, então vamos trocar o “comemorar” por “celebrar”.
Recordar as pessoas que amamos e que já não estão mais entre nós é celebrar a vida. A morte nos separa fisicamente, mas não é, nem nunca será, a vitoriosa. Eu creio nisso.
Quando sentimos saudade é porque houve alguém que merece nossas lágrimas. Se a ausência incomoda, como escrevi no poema, é porque vivemos bons momentos ao seu lado. Por isso a saudade é celebração da vida. Da nossa história de vida.
E a gente sente saudade não só de quem “voltou pra casa”, mas também de que ainda está por aqui, neste plano terreno. Às vezes, por vontade própria ou não, pessoas deixam de ser companheiras de estrada. E aí vem a saudade.
Saudade dos tempos de infância e adolescência, saudade de uma viagem bacana que fizemos, saudade do cheiro gostosa da comida materna, saudade do abraço apertado paterno, saudade, saudade, saudade…
Que o dia de hoje, com ou sem lágrimas, seja motivo para festa em nossos corações. Que as lembranças sirvam para nos proporcionar momentos de emoção, não de tristeza.

Por que o governo ainda esconde a existência de Ets?

Chico Penteado e Marco Kioratto respondem o porquê o governo ainda esconde a existência de Ets.


domingo, 3 de novembro de 2013

Índigos e Cristais – quem são as gerações que vão mudar o futuro do mundo

It’s the end of the world as we know it (and I feel fine) – a clássica letra do R.E.M já previa o que estamos vivenciando hoje – o mundo, daquela velha forma com a qual estávamos acostumados, está passando por reforma. Crise de economias de países desenvolvidos, quedas de sistema, religiões com popularidade em baixa, uma necessidade latente de uma reforma nos modelos de ensino, um sonoro pedido de uma reorganização das coisas. No Brasil, as inesperadas manifestações  são apenas mais um sinal de novos tempos. E mesmo que os mais pessimistas tentem disseminar o medo de um possível retrocesso, é impossível deixar  de sentir esperança que algo bom está acontecendo com o mundo. De fato, o mundo como estávamos acostumados a conhecer parece mesmo ter acabado em 2012, ao contrário do que muitos de nós acreditávamos.

Como a maioria das revoluções, as que temos presenciado nos últimos anos têm sido lideradas por jovens. No Brasil mesmo, é fácil perceber que quem trouxe um ânimo há tempos extinto para causar tamanha comoção, foram os jovens. Mas quem são esses jovens? Quem são os integrantes dessa geração que vem buscando mudanças, que querem um mundo melhor? Talvez você não tenha ouvido falar muito  a respeito, mas há tempos a revolução que temos acompanhado no mundo já era prevista por um motivo – justamente devido ao nascimento de uma nova geração. Uma geração formada por indivíduos com potencial de mudar o mundo: os Índigos e os Cristais.

Segundo estudos de comportamento, os primeiros índigos foram pioneiros e mostradores de caminho. Depois da Segunda Guerra Mundial, um número significante deles nasceu – esses são os adultos índigos mais velhos de hoje. No entanto, na década de 70 e 80, uma outra grande onda de índigos nasceu, e por isso agora temos uma geração inteira de índigos que estão no final dos seus vinte e em meados de seus 30 anos, que irão com certeza liderar novas frentes no mundo. Essa geração já nasceu com maior grau de conhecimento tecnológico e também de maior desenvolvimento da criatividade. Os índigos são guerreiros, e têm como propósito de vida esmagar os velhos padrões que não são mais úteis para a sociedade (nesse momento de protestos no Brasil, podemos mais do que nunca observar os índigos em ação). São questionadores natos. Não aceitam proibições sem argumentos. São guiados por um forte senso de justiça.

A geração dos índigos tem dificuldade em se desassociar dos seus sentimentos e fingir que está tudo bem. É a geração que quer trabalhar com o que ama. Que está disposta a criar novas profissões caso eles não se adequem as já existentes (como exemplos que já demos aquiaqui, ou aqui).


O filme ‘We All Want to Be Young’ é o resultado de diversos estudos realizados pela BOX1824,uma empresa de pesquisa especializada em tendências de comportamento e consumo, nos últimos 5 anos.
Já as crianças consideradas cristais (ou pertencentes a geração Z) começaram a nascer a partir de 2000, ou talvez um pouco antes disso. Essas crianças são extremamente sábias, e vieram com um objetivo de evoluir a compreensão dos humanos. Elas vieram trazer mais sensibilidade para o “espírito guerreiro” dos índigos. Elas funcionam com uma consciência de grupo, em vez de individual, e vivem por uma consciência da Unidade. Elas são uma poderosa força de amor e paz no planeta.